Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linha esquerda

Blog mais virado para a política, tudo feito pelo telemóvel, perdão pelas gaffes. Mas algo para lerem nos transportes públicos ou onde quiserem. Leitura sempre rápida!

Linha esquerda

29
Out18

Não repetir, por favor!


Raf

 

Crise não!

Não desejo relembrar a crise de 2008, que teve inicio nos EUA e espalhou se por todo o mundo, batendo fortemente na banca portuguesa, no meu ponto de vista e apesar de ter a noção que os “bail outs”, foram necessários para estancar ainda mais estragos, infelizmente, acho que não aprendemos nenhuma lição.

 

Penas de prisão a Ricardo Salgado, João Rendeiro, Dias Loureiro, Jardim Goncalves e companhia não existiram, afinal foram fantasmas que levaram o pais á banca rota? Estes indivíduos foram sim galardoados financeiramente, com dinheiro publico.

 

Esta crise só não foi idêntica á catástrofe de 1930, porque passávamos por um período longo de estabilidade e prosperidade financeira (ou pensávamos). A bolha arrebentará novamente se não pararmos de injetar sem medidas estudadas, capital aos bancos portugueses, em vez de passar legislação de controle apertado.

 

Com um governo de Passos Coelho e Paulo Portas no poder, foram leiloados e privatizados como se a feira da ladra tratasse, propriedade e empresas publicas. Foi um processo que provou ser um desastre na longa caminhada, prova disto vem o novo estudo do FMI que aponta Portugal como uma das nações com menor investimento financeiro. E menor propriedade pública em mão. 

 

Entramos em uma nova era, posso criticar como foram levadas a cabo as negociações com a Troika, mas também quero revistar os motivos de tanta divida publica e as decisões irracionais que tanto nos prejudicaram.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D